Saiba por que a inteligência estratégica é a nova riqueza das empresas!

6 minutos para ler

Empresas que usam a inteligência estratégica atingem suas metas por não se perderem no meio do percurso. Elas sabem o momento e qual a melhor ação para corrigir uma rota que não as levarão ao sucesso. 

Uma das maneiras de fazer isso é conhecer bem o país em que se vive, acompanhando o cenário político, econômico, social, tecnológico e cultural a fim de que haja condições de traçar estratégias de negócios satisfatórias para as empresas.  

Existem diversos tipos de treinamentos empresariais, por exemplo, palestras motivacionais, parcerias com outras empresas, troca de setores dentro da organização, educação corporativa, gamificação, coaching executivo, entre outros. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto. 

Entenda o significado da inteligência estratégica para sua empresa 

A inteligência estratégica é uma ferramenta que avalia variados dados da empresa e os interpreta para que a organização tome decisões corretas, perceba as oportunidades do mercado, diminua seus custos e verifique quais são suas forças e fraquezas, bem como as dos concorrentes. 

Coletar e analisar as informações externas do mercado permite que as decisões sejam mais estratégicas, evitando surpresas e prevendo cenários. A tecnologia e os meios digitais cruzam esses dados, oferecendo conhecimento e preparando a empresa e o empresário para o mercado. 

Seu objetivo é prever e antecipar tendências do mercado e melhorar o custo-benefício das decisões em todos os níveis, aumentando a lucratividade. Uma empresa que não tem inteligência estratégica perderá oportunidades frente aos concorrentes e não saberá quais são os seus pontos fortes e fracos. 

Identifique as necessidades de cursos diferenciados para os colaboradores  

Investir em cursos traz um diferencial competitivo para a empresa, pois os treinamentos práticos são direcionados para a realidade da organização e dos funcionários em seu dia a dia. Assim, a equipe aprimora sua habilidade para o bom desenvolvimento do trabalho. 

Treinamentos, cursos, workshops e palestras são processos que devem ser contínuos e praticados constantemente, mas como identificar o momento de fazê-los? Confira:

  • quando os funcionários se mostram insatisfeitos e estagnados no setor; 
  • muito turnover; 
  • queda da produtividade; 
  • insegurança no momento de executar o trabalho; 
  • perda de clientes e do mercado. 

Um curso bem planejado, com equipe adequada, trará o resultado almejado pela empresa. Veja alguns pontos importantes sobre o assunto.

Objetivo do treinamento  

Após serem feitos os levantamentos dos problemas, o curso deve ser estabelecido de acordo com a necessidade da organização, como melhorar o atendimento, capacitar a equipe para uma atualização de processos, apresentar uma novidade tecnológica etc. O departamento responsável precisa trabalhar junto com os gestores de cada setor para que todos tracem como serão os treinamentos. 

Duração do curso para não atrapalhar a produtividade da empresa  

A produtividade da empresa não pode ser afetada pelo treinamento, por isso, o tempo do curso deve ser avaliado e informado com antecedência para atender os colaboradores dentro do período que eles têm disponível. 

Valores que serão gastos

Tenha um planejamento para que os custos do treinamento estejam dentro do orçamento da empresa, a fim de não prejudicar sua qualidade na capacitação dos funcionários. Se houver verba, proporcione um curso diferente, que chame a atenção de todos. 

Crie um calendário anual de workshops para tratar de tendências de mercado  

Como dito no item acima, o workshop deve ser periódico para que as tendências de mercado sejam desenvolvidas dentro da empresa e junto aos colaboradores. Planeje ações que possam ser feitas em grupos, dependendo do assunto, podem ser bimestrais, trimestrais ou semestrais. 

É indicada uma metodologia inovadora e personalizada para que os trabalhadores assimilem as informações com maior eficiência e possam colocá-las em prática. Assim, criarão situações reais e com planos de ação e estratégia para solucionarem os problemas que serão enfrentados constantemente. 

Geralmente, os cursos, workshops, palestras e treinamentos são formulados pelo setor de Recursos Humanos, porém esqueça a ideia de uma plateia assistindo o instrutor passando as informações, como em uma sala de aula de escola.  

Agora, o aprendizado requer inovação, interação, sentimento e vivência. Você pode transmitir as informações por meio de mágicas, ilusionismos, brincadeiras e tantas outras formas lúdicas para que o curso se torne algo prazeroso e marcante na vida dos colaboradores. 

Pense em ações on demand e busque parceiros  

Curso on demand significa “curso sob demanda”, sendo assim, busque empresas e profissionais que ofereçam serviços dessa natureza para realizar um treinamento personalizado e direcionado a solucionar uma deficiência dentro de sua empresa. Tente suprir as necessidades de seus colaboradores e até dos seus clientes, pois quando eles estão bem informados, se tornam fidelizados à marca. Afinal, treinamentos não são gastos, mas sim investimentos para que possa haver maior produtividade e lucro. 

Essa atitude o ajudará a construir a sua marca e demonstrará a valorização que a empresa tem pelos seus funcionários, que prestarão um serviço mais qualificado aos seus clientes. Obter uma boa imagem gera propagando positiva tanto pelos clientes externos quanto pelos internos. 

Ensine o RH a “pensar diferente” para envolver todos os times 

Temos passado por muitas mudanças e desafios, encontrando problemas e oportunidades. As transformações exigem uma nova maneira de pensar, principalmente dentro das empresas em que a tecnologia tem feito alterações profundas e os consumidores têm mudado constantemente seu comportamento. 

Dessa maneira, o RH precisa deixar o lado tradicional e investir na inovação e na criatividade, falando a mesma linguagem do negócio para os funcionários por meio de ações e treinamentos com estratégias diferenciadas. Os gestores de cada setor precisam trabalhar em conjunto com o RH, informando suas necessidades e o perfil da equipe para que o curso seja bem qualificado e possa gerar resultados expressivos para a empresa. 

A inteligência estratégica teve início nas agências governamentais e nos departamentos militares durante os períodos de guerra, prática que deu certo. Assim, o modelo foi implementado pelas organizações privadas para que elas conseguissem se manter no mercando mesmo diante de tantas adversidades. 

Nesse modelo, o profissional deixa de ser um mero pesquisador para se tornar um analista com percepção do que os dados estão dizendo e do volume de informações adquiridas. Isso porque é preciso ter uma visão crítica dessas informações para traduzi-las a favor da empresa e, assim, fazer um planejamento de mudanças relevantes que beneficiem o conjunto envolvido no processo, principalmente os clientes. 

Gostou do texto? Então, veja agora como inovar nos treinamentos de sua empresa, basta entrar em contato conosco!

Posts relacionados

Deixe uma resposta